Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2010
Amigo (a):

Peço um favor, que você leia está carta até o final e deixe o seu coração tomar a decisão.
Nessa carta exponho uma parte da minha vida: Meu nome é Maria de Fátima Jacinto, tenho 49 anos, sou mãe de três filhos, dos quais um faleceu em janeiro de 2009. Somos meus filhos e eu, vitimas de violência doméstica.
Após a morte do Vinicius, nossa situação piorou bastante, nos sentimos encurralados, sem um lugar para nos movimentar.
Vivemos numa casa, que não é nossa, e não existe a menor chance de um dia ser. Somos ameaçados e humilhados, pelo meu ex-marido, o pai dos meus filhos. Somos tratados como se fossemos porcos em um chiqueiro, ele tem um padrão de vida altíssimo, mas nos deixa viver em uma casa de três peças sem portas internas, nem o banheiro tem porta, com uma fossa a céu aberto, e com entulhos que ele vai juntando e trazendo para cá de tudo quanto é espécie. Se jogarmos fora somos espancados e humilhados, não estamos mais suportando tamanha humilhação.
Tenho um blog onde falo mais profundamente da vida que levamos, deixo aqui o endereço caso você queira conferir. Procure os post mais antigos do blog, que é onde está sendo contada a minha vida. Aqui está o endereço do blog: http://araretamaumamulher.blogspot.com/
Pensei muito no que fazer, não quero parecer ser o que não sou por isso quero deixar claro que tenho um bom nível de escolaridade, só que vinte e cinco anos de humilhação e espancamentos acabou com toda a minha auto-estima, estou em tratamento psicológico, caso contrario não conseguiria fazer nem o blog nem está carta, tenha essa certeza.
Precisamos sair daqui o mais rápido possível, e não temos condições financeiras para isso. Então, resolvi pedir doações na internet. Não estou pedindo a ninguém um valor alto, gostaria que você postasse uma carta no correio com R$2,00 (dois reais), não se esquecendo de colocar um pedaço de papel dobrado com o dinheiro dentro caso contrario os correios não entregam. Mas se o dinheiro estiver dentro do papel passa com certeza pelos correios. Deixo aqui meu endereço e telefone, e me coloco a disposição de qualquer pessoa que queira conferir a veracidade dos fatos.
Maria de Fátima Jacinto
Rua Fidalma Manduca, 302.
Jardim Primavera
CEP 78725 110 Rondonópolis MT.
Minha idéia é a seguinte, se cada pessoa me enviar R$2,00 reais terei condições de procurar um lugar para que eu e meus filhos possamos morar, e começar novamente novas vidas. E não estarei deixando ninguém em situação difícil para me ajudar. Deixo aqui também o numero da minha conta poupança caso alguém queira fazer uma doação maior: Caixa Economica Federal (pode ser efetuado em qualquer casa loterica e na maioria dos supermercados.)
Agencia 3119
Operação 013
Conta poupança 8614-0
Maria de Fátima Jacinto
Quanto à justiça, ela é muito lenta e muitas vezes um psicopata consegue enganar um juiz, isso já aconteceu comigo outras vezes.
Por favor consulte o seu coração e se faça o que você achar que deve.
Conto com a usa ajuda
Se sentir vontade divulgue essa carta, me ajude.
Desde de já agradeço
Fique na Luz e na Paz
Maria de Fátima Jacinto
Uma Mulher
http://araretamaumamulher.blogspot.com/


publicado por araretamaumamulher às 07:21 | link do post | comentar | favorito

12 comentários:
De Falando ao Coração a 4 de Fevereiro de 2010 às 09:04
Oi Fátima!

Nem sei como iniciar este diálogo,bom!até então o que se via aqui no dihitt,na maioria são textos fictícios e me deparo agora estarrecida com seu desabafo ou seja um pedido de socorro,não sei se teria a mesma coragem,mas não vim aqui para te julgar
mas sim para tentar lhe ajudar,mas como não! vejo uma mulher desesperada ao ponto de se expor tanto assim,contando com detalhes todo seu sofrimento e de sua família(filhos),eu sem bem o que é isto,tive uma infância pertubada por ter um pai que bebia,e chegava em casa para começar sua sessão tortura de espancamentos e humilhações sendo vitimas, minha mãe e eu.foram 20 anos neste sofrimento,mas enfim tivemos o apoio da família para começar uma nova vida!!! sei que muitas pessoas,confesso que, como eu estou agora ao ler este post., irão se questionar,será que ela esta falando a verdade!!!
acredito que você não teria tanta coragem de se expor assim em vão,e creio mais,que não teria a cara de pau de tentar nos enganar,se aproveitando de nossa
boa vontade e sensibilidade,não é mesmo!??
como vemos hoje vários casos de estelionatário pela net,é mais do que normal termos esta dúvida!
Mas mesmo assim irei lhe fazer uma doação,gostaria que me informace o banco desta conta poupança,e ai terei condições te te enviar o valor.

Um abraço e que Deus possa te guiar para uma vida melhor,estarei torcendo e orando para um final feliz!

Ana Cláudia (Kacal)


De Lilian a 4 de Fevereiro de 2010 às 11:51
Olá querida amiga Fátima.
Fico estarrecida em saber de tudo isso.
Imediatamente copiei sua carta e repassei para meus amigos e espero que tenha o retorno esperado.
Amanhã cedo, já farei minha parte e claborarei.
Fique com a paroteção de Deus e desejo, de coração, que você consiga o que pretende.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian


De Ney Bellas a 4 de Fevereiro de 2010 às 12:38
"...Deus me fez crescer, na terra da minha aflição." Genesis 41.52b
"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim, de maneira nenhuma o lançarei fora." João 6.37
De mim, nada tenho, mas pela misericórdia de meu Deus que derramou seu sangue por amor de mim e de você eu lhe garanto que a sua vida e a de seus filhos pode mudar...basta Crer e confessar a Jesus como seu único e suficiente SALVADOR.

Paz


De Álvaro Morgado a 4 de Fevereiro de 2010 às 17:27
Estou em Portugal e como compreende não é possível colocar 2 reais numa carta. Aliás já estou ajudando aqui alguns brasileiros e brasileiras que emigraram para Portugal. Mas, como fala que a justiça é muito lenta, só lhe queria perguntar se não existem aí associações (oficias ou não)que acolham e cooperem com pessoas na sua situação. É que há organismos que acolhem e ajudam pessoas na sua condição. E essa seria uma maneira de de imediato se safar desse pesadelo. E a família? Também não tem nem a ajudam. Espero sinceramente que resolva com rapidez essa situação.


De LISON a 5 de Fevereiro de 2010 às 11:55
Saudações!
Amiga MARIA, é de cortar o coração a sua situação. Favoritei o seu Post, para as providências que devo tomar!
Não tome decisões precipitadas, em situações como a sua requer cuidados e um planejamento minucioso.
Abraços fraternos,
LISON.


De Sissym a 6 de Fevereiro de 2010 às 08:13
Querida, eu comentei aqui antes, não sei porque não está, mas se encontra no dihitt. Eu fiz um post pra ajudar e solicitei atenção de um blogueiro que, como eu, luta com bravura contra a violencia. Veja:

http://ebraelshaddai.wordpress.com/2010/02/06/espancada-por-25-anos-agora-chega/#comment-533


De Leh a 6 de Fevereiro de 2010 às 14:28
Maria de Fátima,
fiquei bastante surpresa com seu relato e muito mais porque não imaginava que você pudesse estar passando por um sofrimento tão grande.
Eu estou no Japão e com a crise financeira que afetou principalmente brasileiros, passei a fazer voluntariado aqui e inscrita em uma grande Associação de ajuda a brasileiros em dificuldades, fui incumbida de prestar socorro a uma pessoa que, além do desemprego e da dificuldade financeira, era vítima de violência doméstica psicológica. Felizmente aqui existem abrigos às vítimas dessa violência e ainda um auxílio de sobrevivência que é dada pelo governo. Através dessa ajuda ela conseguiu alugar um imóvel público, com valor de aluguel bem acessível. Mas antes de tudo, busquei ajuda com pessoas influentes da comunidade brasileira e isso foi o que nais pesou para iniciar a minimizar o sofrimento dela.
Não digo que conseguirei, mas tentarei ajudá-la, além dessa pequena solicitada, um contato em MT.
Já estou dando início e vou tentar lhe ajudar, porque essa situação não pode continuar.
Que Deus a abençoe!
Beijos


De Semíramis Alencar a 6 de Fevereiro de 2010 às 15:52
Maria de Fátima

Tomei a liberdade de reproduzir esse atigo seu em meu blog, pois quero te ajudar a se livrar desse crápula. Agora preste atenção: Vá à uma delegacia da mulher, de preferência com seus filhos e denuncie seu ex-marido. Não há injustiça que dure para sempre. Tente buscar a mídia, os jornais nacionais para que esse seu inferno tenha fim. Você que deve ser uma mulher batalhadora, guerreira, não temas nada pois o que te é mais precioso são teus filhos que ainda estão aí. Lute! com fé sim, mas na justiça, na exigência de seus direitos. Te ajudarei na medida do possível, te desejo toda a sorte do mundo!
Outra coisa querida: em situações difíceis como essa a gente sai com fé e a roupa do corpo sem temer as adversidades, pois nada pode ser pior do que a agressão física e moral
Um abraço fraterno, paz, sobretudo coragem paa prosseguir
Semíramis


De arte-e-manhas-arte a 6 de Fevereiro de 2010 às 16:53
Maria de Fátima,

Eu sou portuguesa e muito dificilmente poderei colocar dois reais numa carta e enviar para o Brasil. No entanto farei o que for possível na divulgação desta mesma carta.

Eu já conhecia a tua história de um outro blog, penso que terás enviado para as redes sociais alguns posts e eu lembro-me de ter lido uma sequência de relatos sobre o teu dia-a-dia.

Fico surpreendida por não haver organismos governamentais que zelem por situações como a tua, principalmente se existem menores na família.

Um abraço solidário e coragem!
Luísa


De 2ndChance a 6 de Fevereiro de 2010 às 21:47
Mulher! E ainda na semana passada me diziam que não entendiam porque existia o dia internacional da mulher...
Eu argumentei, que é um dia que representa a luta das mulheres pela igualdade; é um dia simbólico. Mas há tanta burca para despir, tanto murro para impedir, tanto abuso emocional, económico e sexual para travar; para não falar da chantagem com os próprios filhos...
Felizmente, não conheço pessoalmente ninguém vítima de violência doméstica, mas assustam-me os números divulgados.
Não sei se no Brasil existe alguma associação que ajude estas vítimas, mas em Portugal a APAV. Espero que este link http://www.apav.pt/portal/ a ajude a abrir uma porta para a solução do seu problema.
Porque não é de dinheiro que a Maria precisa... A Maria precisa de CORAGEM! Não pense que só com o dinheiro, vai conseguir fugir da maldade; pode ajudar, sem dúvida, mas a Maria precisa de Apoio. Não sei se a APAV pode ajudar mulheres brasileiras, mas certamente poderá encontrar dicas neste site para, quem sabe, criar uma associação idêntica na sua cidade. A união faz a força e a APAV iniciou-se com a força das vítimas. Deus ajuda, mas para além de rezar, temos de aproveitar as oportunidades que Ele nos dá.
Deixo-a com a frase do Fundador desta associação e desejo que brevemente a sua face fique para cima: "A ideia da APAV germinou face à constatação de que o delinquente e a vítima eram faces de uma mesma moeda, em que, no 'caras ou coroas' da vida, raramente a face da vítima ficava para cima."
2nd Chance


Comentar post

mais sobre mim
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Característicos da violên...

As situações de violência...

Fatores que contribuem pa...

As (in) visíveis seqüelas...

As consequencias das agre...

Nunca vou compreender ist...

eu tenho uma dor dentro d...

Ainda me lembro quando es...

Ser mãe é padecer no para...

Mulheres, cuidando da cas...

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

a desvalorização da mulher

a morte de um filho

a mulher e acultura da desvalorização

agressão da mulher

agressão psicologica

agressor

amor

anorexia

aprendizado

baixa auto estima

baixa auto estima origem da dor.

baixa auto-estima

beleza

bulimia

circulo vicioso.

como agir em caso de violência

comotratar a violência

comportamento machista

consentimento silencioso.

criança ferida

cristianismo e o preconceito ao feminino

crueldade na familia

culpa

denuncia

depressão

desejo sexual

deus

dia da mulher

direitos humanos

direitos humanos para a mulher vitima.

dor

dor humilhação

educação

educação de filhos

emoções

envelhecer

falta de amor

familia

familia desestruturada.

feminismo

filho

gordura

humilhação

infância

infancia de dor

inveja

lar

lei maria da penha

luto

machismo

mãe

manipulação.

máscara

medo

medos

menopausa

mentira

mídia

mídia especializada

mitos verdades

morte

morte de um filho

morte prematura

mulher

mulheres

mulheres violentadas.

oração

orgulho

patriarcado

perda

perda de um filho

perdão

perversão

preconceito

rede social

relacionamentos

sagrado

silencio

silêncio

sociedade

sociedade machista

solidão

sonhos

suicidio

velhice

verdade

vergonha

violência

violencia

violência aceita

violência contra a mulher

violência da mulher

violencia da mulher

violência doméstica

violência emocional

violencia emocional

violência psicologica

violência sexual

vitima

vitimas de violencia.

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds