Domingo, 23 de Agosto de 2009
Não existe certo ou errado, só existe o que existe.
Intelectualmente eu sabia disso a muito tempo, mas não entendia no meu coração.
Você deve está se perguntando: Então não é errado roubar, mentir, matar? As pessoas que cometem tais atos o fazem por medo, vergonha ou culpa. É errado sentir medo, vergonha ou culpa?
As pessoas fazem as coisas quer julguemos que estejam certas ou não, nosso julgamento não as fazem parar. Quando julgamos o que fizeram na realidade, estamos lhes dizendo as condições que impomos para ama-las. Caso façam o que esperamos delas, nós as amaremos. Mas se as julgamos erradas ficamos com raiva e as ameaçamos com á possibilidade de deixarmos de ama-las.
Uma pessoa sem amor é uma pessoa amedrontada, é o medo é capaz de fazer coisas pouco amorosas.
Tememos tudo aquilo que não nos é familiar e não compreendemos. As pessoas são escravizadas pelo medo ou por causa dele. Quando nos descontrolamos buscamos controle. As pessoas impotentes buscam o poder. As pessoas são mortas quando a impotência busca o controle.
As pessoas fazem o que fazem em virtude do que são, daquilo em que acreditam e das informações que possuem naquele momento, para apoiar sentimentos e crenças. A escravidão é uma coisa errada hoje, a quatrocentos anos parecia ser um empreendimento economicamente viável e lucrativo. Hitler é considerado um monstro hoje em dia, no seu tempo entretanto era apoiado ou ignorado por milhares.
Dizer que foi certo ou errado não muda o fato de que foi. Quando nós achamos que foi errado, que algo não está certo na realidade estamos dizendo que há algo errado conosco mesmo.
Só a libertação da culpa, desfaz o ego.
Somos espelhos, refletimos no outro a nossa culpa. Temos que fazer o outro se sentir culpado, porque assim o ego nos diz que nos sentiremos melhores.
Mas creia-me não faça ninguém se sentir culpado ou com medo, porque a culpa do outro é a sua condenação e você não escapará da punição se agir assim.
Porque o mundo só pode nos dar o que damos a ele, ou seja nada mais do que nossas projeções nos são devolvida
Porque nossas projeções são nosso tesouro e sempre depositamos nossa fé nela. Por isso se depositamos nossa fé no passado, o nosso futuro será igual.
Seja o que for que você valorize, pensa que é seu, o seu poder de avaliação fará que assim seja.
Quando você condena o outro está dizendo: eu era culpado, escolho continuar sendo, eu nego a minha liberdade e te escolho como minha testemunha.
A culpa nos cega, e como a projetamos no mundo, ele nos parece escuro. Jogamos um véu escuro sobre ele e não podemos vê-lo, porque temos medo de olhar para dentro, medo do que iremos ver lá. Não sabemos que o que tememos não está lá, que essa coisa que nos causa terror só existe na nossa imaginação.
Não tenha medo de olhar para dentro, não acredite quando o ego te diz que lá dentro tudo é negro de culpa e te pede que não olhe, o ego te pede que ao invés de olhar para dentro olhe para o outro e veja nele a culpa, o erro e o pecado.
Tendo dito isso, sinto necessidade de acrescentar que é muito mais fácil dizer do que fazer escolhas amorosas. A todo momento surgem obstáculos que parecem afirmar: "Não vale a pena...." Parece mais lógico pensar: "Vou amar quando... e completarmos a frase:meus filhos se comportarem, meu conjugê mudar, minhas contas estiverem pagas, eu emagrecer, eu superar essas dificuldades. A lista é infinita.
Levei muito tempo para aprender que o vazio que sentia dentro de mim, era falta do amor. Eu vivia cheia de ressentimentos, sentindo me uma coitada, vitima de todos que se aproximavam de mim, explorada e usada...Achava que não existia outra opção de vida a não ser aquela cheia de infortúnio, magoas, dores, e misérias. Tive que criar coragem para olhar para os meus bloqueios e identifica-los, para depois chegar ao amor. Descobri que a maior parte deles tinha origem nos meus pensamentos negativos, que são ecos de vozes que carregamos desde a infância ou até de outras vidas. Temos uma auto-imagem negativa que resulta de terríveis acontecimentos na nossa infância ou de comentários depreciativos repetidos durante um longo período.
Precisamos trazer a tona e reconhecer esses padrões e reconhecer esses padrões negativos de pensamentos, investindo tudo para nos desapegarmos deles. Para isso temos que enfrentar a vergonha e o medo da aniquilação que nos é inerente.
Fátima Jacinto
Uma Mulher


publicado por araretamaumamulher às 15:05 | link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Pastor Júlio Fonseca a 9 de Outubro de 2009 às 16:43
Para mim o errado é algo que você faz que culmina em conseguências ruins. O problemas entre as pessoas, é o que você considera uma coisa ruim. Exemplo: Fazer sexo sem amor para mim é algo ruim, para muitas pessoas isso é tolerado, para outras isso é desejável.
Claro que como pastor tenho como o melhor aquilo que meu Deus determina para mim, vivendo assim tenho sido feliz, e seus limites e proibições vejo como zelo por minha vida! Que Deus te abençoe!


Comentar post

mais sobre mim
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Característicos da violên...

As situações de violência...

Fatores que contribuem pa...

As (in) visíveis seqüelas...

As consequencias das agre...

Nunca vou compreender ist...

eu tenho uma dor dentro d...

Ainda me lembro quando es...

Ser mãe é padecer no para...

Mulheres, cuidando da cas...

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

a desvalorização da mulher

a morte de um filho

a mulher e acultura da desvalorização

agressão da mulher

agressão psicologica

agressor

amor

anorexia

aprendizado

baixa auto estima

baixa auto estima origem da dor.

baixa auto-estima

beleza

bulimia

circulo vicioso.

como agir em caso de violência

comotratar a violência

comportamento machista

consentimento silencioso.

criança ferida

cristianismo e o preconceito ao feminino

crueldade na familia

culpa

denuncia

depressão

desejo sexual

deus

dia da mulher

direitos humanos

direitos humanos para a mulher vitima.

dor

dor humilhação

educação

educação de filhos

emoções

envelhecer

falta de amor

familia

familia desestruturada.

feminismo

filho

gordura

humilhação

infância

infancia de dor

inveja

lar

lei maria da penha

luto

machismo

mãe

manipulação.

máscara

medo

medos

menopausa

mentira

mídia

mídia especializada

mitos verdades

morte

morte de um filho

morte prematura

mulher

mulheres

mulheres violentadas.

oração

orgulho

patriarcado

perda

perda de um filho

perdão

perversão

preconceito

rede social

relacionamentos

sagrado

silencio

silêncio

sociedade

sociedade machista

solidão

sonhos

suicidio

velhice

verdade

vergonha

violência

violencia

violência aceita

violência contra a mulher

violência da mulher

violencia da mulher

violência doméstica

violência emocional

violencia emocional

violência psicologica

violência sexual

vitima

vitimas de violencia.

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds