Domingo, 28 de Fevereiro de 2010
Pensei muito em como encerar, essa fase da minha vida. Porque não tenho a menor duvida de essa fase está sendo encerada, agora é só uma questão de tempo...
Porque na realidade esse livro só estará pronto quando eu morrer, até lá terei coisas para contar e experimentar com todos.
Mas sei que tenho que encerar, essa fase, não só do que estou escrevendo mas também da minha vida.
Foi uma fase pesada, difícil, e muitas vezes pensei que não daria conta de continuar. Pensei em desistir, por muitas e muitas vezes. Talvez esse seja o motivo porque tantas mulheres preferem continuar a viver dentro da violência do que lutar. Lutar significa por em ação o desconhecido, e isso não é tarefa fácil para nenhum ser humano. Então pensamos: “Há deixa as coisas como estão mesmo, ninguém se importa”
Quero dizer que “Ninguém tem mesmo que se importar” , Somos nós que temos que nos importar, que querer, que atrás, e se não der de um jeito, vamos tentar de outro, até encontrar uma solução. Eu já busquei tantas soluções, já me desesperei tanto,  mas sempre achei que um dia eu iria encontrar uma saída definitiva para o meu problema. E ainda acho, eu acredito nisso.
A justiça não pode fazer nada por mim, no momento, eu espero que um dia ela possa, mas creia me existem outras portas... talvez com toda a certeza um pouco mais difíceis de se abrir, mas para quem está vivendo uma situação de risco constante, não deve ser tão difícil.
Comparo minha vida até aqui como se eu estivesse dentro de uma panela de pressão, prestes a explodir a qualquer momento, tudo agora só depende do tempo que eu vou conseguir ficar de boca fechada aqui em casa. Enquanto eu conseguir, sei que estou viva. Talvez seja por isso minha urgência, as vezes minha língua coça tanto!!


Divina Mãe Eterna, seja comigo e com todas nós mulheres. Ensinas-nos a seguir o nosso caminho com mais honra, e dignidade, não a honra e a dignidade que os poetas e escritores nos dá, mas a verdadeira honra, aquela que nos faz andar de cabeça erguida diante do mundo.
Ensina-nos o Mãe Divina a sutil diferença entre ser humilde e ser capacho. A diferença que existe em sermos mulheres e não sermos objeto.
Seque nossas lagrimas diante das humilhações e da brutalidade com que o mundo aprendeu a tratar a maioria de nós.
Mãe Divina precisamos de te para que possamos continuar a caminhar, a sermos as mães que nossos filhos precisam, a esposa que nossos maridos deseja, e a profissional que nossos trabalho exige que sejamos.
E ainda Oh! Mãe precisamos aprender a sermos sempre belas e sedutoras.
Ensina-nos a empreendermos mais leveza no caminho que temos que seguir. Mãe mostre nos que somos humanas, e não super mulheres, que temos o direito de pedir o que queremos, de desejar coisas só para nós.
Ensina-nos que quando queremos algo só para nós não estamos sendo egoístas mas sim cuidando da pessoa mais importante que temos para cuidar. Nós mesmas.
Obrigado o Mãe Divina, por nós dar esse entendimento.
Amém.



publicado por araretamaumamulher às 11:57 | link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Serenissima a 28 de Fevereiro de 2010 às 22:08
Fátima,
que Deus continue dando forças e esperança para que você possa alcançar os seus objetivos.
Quando dentro de você já visualiza uma mudança positiva, é continuar nessa meta e acreditar que vai conseguir.
Acabei de ler o post da Yoriko e acho que você devia ler também, creio que pode ajudar: http://www.dihitt.com.br/noticia/o-poder-da-mente-4

Abraço
Serenissima


De Professora Ismaelita a 1 de Março de 2010 às 03:53
seja qual for o seu problema existe um Deus maior ,creia ,a paz


Comentar post

mais sobre mim
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Característicos da violên...

As situações de violência...

Fatores que contribuem pa...

As (in) visíveis seqüelas...

As consequencias das agre...

Nunca vou compreender ist...

eu tenho uma dor dentro d...

Ainda me lembro quando es...

Ser mãe é padecer no para...

Mulheres, cuidando da cas...

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

a desvalorização da mulher

a morte de um filho

a mulher e acultura da desvalorização

agressão da mulher

agressão psicologica

agressor

amor

anorexia

aprendizado

baixa auto estima

baixa auto estima origem da dor.

baixa auto-estima

beleza

bulimia

circulo vicioso.

como agir em caso de violência

comotratar a violência

comportamento machista

consentimento silencioso.

criança ferida

cristianismo e o preconceito ao feminino

crueldade na familia

culpa

denuncia

depressão

desejo sexual

deus

dia da mulher

direitos humanos

direitos humanos para a mulher vitima.

dor

dor humilhação

educação

educação de filhos

emoções

envelhecer

falta de amor

familia

familia desestruturada.

feminismo

filho

gordura

humilhação

infância

infancia de dor

inveja

lar

lei maria da penha

luto

machismo

mãe

manipulação.

máscara

medo

medos

menopausa

mentira

mídia

mídia especializada

mitos verdades

morte

morte de um filho

morte prematura

mulher

mulheres

mulheres violentadas.

oração

orgulho

patriarcado

perda

perda de um filho

perdão

perversão

preconceito

rede social

relacionamentos

sagrado

silencio

silêncio

sociedade

sociedade machista

solidão

sonhos

suicidio

velhice

verdade

vergonha

violência

violencia

violência aceita

violência contra a mulher

violência da mulher

violencia da mulher

violência doméstica

violência emocional

violencia emocional

violência psicologica

violência sexual

vitima

vitimas de violencia.

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds